sexta-feira, 6 de agosto de 2010

AH, ESSA TAL ARQUITETURA

Da série, “Essa tal Arquitetura”, segundo minha Numerologia essa é uma das opções de carreira que deveria seguir, e tenho que admitir que sempre foi minha primeira opção.
Durante os 05 anos de Faculdade, comecei a colecionar algumas paixões. Sim, paixões arquitetônicas, (se posso falar assim).
Essa primeira foi referência do meu TFG, que por sinal fiquei tão nervosa na apresentação que não lembro uma boa parte do que falei, mas confesso que nunca fiz um rolinho de papel, (minhas anotações), tão perfeito em toda a minha vida, mas isso é outra história. Voltando ao objeto em questão, estou me referindo ao grandioso e sinuoso Edifício Copan, por quem sou completamente apaixonada bem antes de entrar na faculdade. Sempre que vou ao centro, (e posso), adoro dar uma espiadinha nele.



Projetado por Oscar Niemeyer, inspirado na idéia do edifício Rockefeller Center de NY, como homenagem ao IV Centenário da cidade de São Paulo, (em 1954, mas concluído em 1962), o projeto inicial previa além do edifício residencial um hotel, ligados por uma grande marquise que sustentaria um restaurante, piscina, lojas, jardins suspensos e garagens subterrâneas. Quase tudo foi executado, exceto o hotel e o teatro.
Na década de 70, com declínio do Centro, o edifício entrou em decadência, passando inclusive a ser considerado um cortiço vertical. Somente na década de 90, com a revitalização do Centro, o Copan começou a atrair uma classe média que buscava uma moradia de qualidade, bem localizada e com preços baixos. Sua fama ruim começou a mudar, o prédio passou a ser administrado por seus próprios moradores, e seus proprietários começaram a selecionar melhor seus inquilinos. Hoje no Copan residem pessoas de diversas classes sociais e ocupações.


Agora vamos aos números, (a parte que mais gosto, e me desculpem se errar em algum item)...
O edifício possui 120 mil metros quadrados construídos, 1160 apartamentos divididos em 06 blocos, que variam de 26 a 350 metros quadrados, 20 elevadores que permitem a circulação de seus 2.038 moradores, sem contar suas 72 lojas incluindo 01 igreja evangélica instalada num cinema, 01 alfaiate, 01 fast food chinês, 04 restaurantes, 01 lavanderia, 02 cafés, 01 vídeo locadora, 05 telefones públicos, 01 doceria, 01 agência de turismo, 01 papelaria e 01 despachante. Também há 221 vagas no seu subsolo e 01 gerador que opera 06 horas, o que permitiu que o prédio tivesse luz durante o grande apagão na região Sudeste. (Vocês lembram?). Além disso, antes do primeiro andar de apartamentos existe, um andar livre para a infra-estrutura de hidráulica e elétrica, permitindo uma manutenção rápida. O brise soleil utilizado serve não só como proteção solar, mas também para ressaltar sua fachada ondulada, (marca de seu arquiteto, e que particularmente acho lindo).


Sensacional...



"Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível... O que me atrai é uma curva livre e sensual..." (Niemeyer, 1998)


Referências

1 comentários:

Fernanda disse...

Que demais!!

Tá aí um tema que não entendo necas de pitibiribas... E, sendo assim, pago maior pau pra quem sabe, pra quem se atém aos detalhes, que enxerga todas as maravilhas e riqueza de detalhes.


Beijosss

Postar um comentário